Visit Pantanal apoia o projeto Comitiva Esperança

A Visit Pantanal passou a apoiar a força-tarefa Comitiva Esperança, que reúne cidadãos, empresas e instituições de Mato Grosso do Sul com o objetivo em comum de aliviar o sofrimento de famílias que se encontram em situação de extremo perigo em função da crise da Covid-19.

Isolados muito antes da pandemia, famílias na região do Cerrado e do Pantanal vivem uma situação cheia de incertezas. As comunidades vivem distantes das cidades e dependem de transporte fluvial para locomoção. A maioria não tem barco com motor e a enchente se aproxima, deixando essas pessoas em extremo risco.

Além disso, os locais não dispõe de internet, nem comunicação fácil com órgãos de apoio. As famílias não conseguem fazer o cadastro do governo para receber o auxílio, vários foram negados e os que conseguiram enviar a solicitação ainda não receberam nada.

As comunidades distantes sentem essa falta de assistência e temem pelos próximos meses, já que a enchente que se aproxima.

Por isso, a campanha Comitiva Esperança foi criada para levar cestas básicas para famílias isoladas, e o alimento chega às regiões também como afeto para quem vive distante.

Além da preocupação com a comida, faltam também produtos de limpeza, de higiene pessoal e informações de combate ao vírus. “Máscaras e kits de higiene pessoal não estão sendo doados pelas políticas assistenciais, isso é algo que vai ser muito importante na medida que o turismo em breve deve retornar as atividades e eles vão ter contato muito direto com pessoas vindas de lugares de onde já foi decretado o lockdown”, diz André Siqueira, voluntário no projeto.

A preocupação se multiplica quando, através de uma pesquisa rápida na região, é possível notar o grande número de hipertensos e diabéticos em meio a essas populações. Por isso, a Comitiva Esperança tem como estratégia estar em contato direto com essas comunidades para identificar quais são as principais carências e contribuir. Além da arrecadação de fundos através do site oficial, a campanha também busca parceria com marcas interessadas em ajudar.

A entrega do último fim de semana foi coordenada pela presidente do Instituto de Pesquisa da Diversidade Intercultural, a pesquisadora Denise Silva. “São em momentos como esses que a gente se dá conta do tamanho dos nossos privilégios. Por mais que a gente conheça a situação de vulnerabilidade dessas comunidades, estar in-loco nos toca profundamente”, relata a pesquisadora. E acrescenta. “Posso arriscar a dizer que a visibilidade da campanha chamará atenção dos órgãos públicos e também dará às comunidades o sentimento que não estão sozinhos, que tem gente lutando por eles, que tudo isso vai passar e que vai ficar tudo bem!”, torce.

Você também pode ajudar na campanha fazendo uma doação (clique aqui), sendo voluntário(a) (clique aqui) e compartilhando a iniciativa nas redes sociais.

Outras informações pelo Instagram @comitiva.esperanca.

Informações: CAMPO GRANDE NEWS